Conforto visual em escritórios, o segredo para foco e concentração

Edifícios que são construídos especificamente para serem habitados ou funcionam como locais de trabalho devem levar em consideração o conforto dos seus ocupantes, desde a fase de projeto até a construção. Ambientes internos confortáveis aumentam a produtividade, a saúde e o bem-estar geral das pessoas e, portanto, é importante garantir que o conforto seja um fator-chave de decisão ao planejar um edifício. Existem diferentes indicadores de desempenho, como conforto lumínico (visual), conforto acústico, conforto térmico e qualidade do ar, que podem ser monitorados de forma a promover o bem-estar geral, a saúde e o desempenho dos ocupantes em espaços internos. Neste artigo, exploraremos como o conforto visual contribui para o bem-estar dos ocupantes em ambientes de trabalho, como escritórios.

Conforto visual em escritórios

O conforto visual em escritórios é muitas vezes alcançado ao criar uma certa harmonia natural dentro de um determinado espaço, combinando seleção de materiais, brilho, sombra e iluminação elétrica dentro do ambiente em diferentes momentos do dia. Além disso, é um fator decisivo no cenário de design de escritórios altamente competitivo de hoje. Mas você já se perguntou como o conforto visual em edifícios pode ajudar as pessoas a manter o foco? Para lhe dar uma resposta precisa, vamos começar com o básico.

O que significa conforto visual ou lumínico?

O conforto visual é melhor descrito como a reação de um indivíduo à luz dentro de um determinado espaço, neste caso um escritório. É um indicador chave do desempenho do nosso ambiente interior. É uma combinação da quantidade de luz do dia, a qualidade da iluminação das fontes de iluminação natural e artificial, bem como o nosso acesso às vistas externas. Desempenha um papel fundamental no bem-estar, capacidades físicas, memória, foco e saúde dos ocupantes. Assim, o conforto visual pode ser uma combinação de luz natural e artificial, incluindo vistas para a área circundante, idealmente não obstruídas.
Enquanto isso, o controle de brilho e ofuscamento trata de gerenciar a luz que entra em uma edificação, garantindo que ela não cause distrações para aqueles que trabalham em ambientes fechados, por exemplo, atingindo telas de computador ou refletindo em uma superfície de mesa refletiva e distraindo um trabalhador de sua tarefa. Os arquitetos de interiores devem ser muito cautelosos quando se trata desse elemento em seus projetos, pois é fácil exagerar ou faltar no nível da luz. Diferentes níveis de iluminação podem evocar diferentes vibrações e experiências do espaço.

Como o conforto visual em edifícios afeta o foco?

O impacto que a iluminação dentro de um espaço tem nos ocupantes não deve ser negligenciado. A luz natural tem uma grande influência em como nos sentimos, pensamos, reagimos as situações do dia a dia. Está provado que uma boa qualidade de luz, luminosidade, vistas do espaço exterior e ausência de ofuscamento têm impactos positivos no humor e na produtividade. Para que as pessoas sejam criativas, motivadas para o trabalho e, mais importante, bem focadas dentro de uma sala, é preciso haver condições de luz adequadas. Muitos estudos mostraram que a luz do dia pode aumentar o aprendizado. É porque certas partes dos olhos humanos estão conectadas às partes do cérebro que secretam hormônios do sono e alerta, como a melatonina e o cortisol. Quando a luz entra nos olhos humanos, ela aciona um sistema não visual que é responsável pelo desempenho cognitivo das pessoas e pelo tempo de seus ciclos de sono-vigília.

Estratégias de sustentabilidade para criar conforto visual

Para projetar edificações com conforto lumínico, a arquitetura é o ponto de partida. Itens simples, como a orientação e a forma de um edifício, afetam muito a maneira como a luz entra no edifício. Além disso, posição e dimensão precisas das janelas e/ou clarabóias também podem definir a disponibilidade de luz natural nos espaços e melhoram o desempenho do conforto visual do ambiente interno. Em relação ao ofuscamento, é importante evitar que a luz solar direta ou refletida atinja os olhos dos ocupantes. Ao orientar e dimensionar corretamente os elementos de sombreamento, os raios de luz direta nas janelas podem ser desviados e isso reduzirá drasticamente o efeito de brilho, trazendo a quantidade certa de luz necessária para as várias necessidades dos ocupantes. Um bom design de iluminação natural depende tanto quanto possível da integração da luz natural, evitando problemas de ofuscamento.

A luz natural é ótima para produtividade e foco

Saber como o conforto visual em edifícios de escritórios pode ser vital para a otimizar resultados de foco, os arquitetos sustentáveis devem fazer de tudo para maximizar o acesso à luz natural sempre que possível, não apenas como uma forma de iluminar o ambiente, mas também por seus benefícios de bem-estar no desempenho cognitivo e produtividade geral.

 

Compartilhe:

Receba nossas notícias

Inscreva-se em nossa Newsletter