Arquitetura Sustentável: Tudo o que Você Precisa Saber

A arquitetura sustentável já existe há algum tempo. Este termo é usado frequentemente no setor de construção, mas só nos últimos anos é que vem fazendo algum avanço. Para as empresas de construção, pautas como meio ambiente e sustentabilidade são agora algumas das principais prioridades e, há apenas algumas décadas, esses fatores nem estavam no radar. Além disso, os consumidores estão se tornando cada vez mais conscientes de seu próprio impacto, alavancando ainda mais o setor.

Apesar de todos sabermos que a sustentabilidade tem a ver com a preservação do meio ambiente, você realmente entende o que ela representa na arquitetura? Hoje vamos explorar esse conceito.

Definindo arquitetura sustentável

A arquitetura sustentável faz parte do desenvolvimento sustentável. É a forma de construir de modo que haja pouco ou nenhum impacto causado pelo homem ao meio ambiente. Implica o esforço consciente para preservar a natureza em todas as etapas, desde o planejamento até a construção. Assim, alcançar uma arquitetura sustentável envolve adotar uma abordagem ecologicamente correta na escolha do local, na seleção de materiais, no projeto de conforto, na geração de resíduos, no uso da água, no consumo de energia e em todos os outros fatores que compõe uma edificação.

Outro fator importante por trás da arquitetura sustentável é que os edifícios não são apenas mais ecológicos, mas também mais econômicos. O uso de energia renovável, por exemplo, pode reduzir entre 50% e 95% a conta de luz de uma edificação – prédios públicos e grandes empresas são os que mais conseguem economizar.

Além disso, os materiais e o espaço projetados também precisam ser reutilizáveis no futuro. A arquitetura sustentável visa criar casas, edifícios e outras estruturas que durem muito tempo e sejam capazes de se sustentar sem desperdiçar recursos adicionais.

No entanto, a arquitetura sustentável vai além dos fatos e números. Muitas vezes, os designs e elementos de edifícios sustentáveis são bonitos e elegantes, representando uma união perfeita entre o design moderno e o mundo natural. A utilização de materiais ecológicos, formas orgânicas e do conhecimento de que os edifícios podem evoluir para estar mais próximos de organismos vivos torna o edifício mais atraente.

O passado da arquitetura sustentável

Embora o maior interesse pelo tema da sustentabilidade na arquitetura tenha aumentado na última década, o conceito em si não é novo. A história da arquitetura sustentável existe desde o mundo antigo. Embora seja difícil rastrear a primeira aplicação de uma abordagem sustentável em arquitetura e design, podemos ver muitos exemplos de tais conceitos nas primeiras civilizações. Parece que os arquitetos sempre tiveram a tendência de se inspirar no ambiente.

Na China antiga, havia uma tendência para casas de bambu. Na Roma antiga, os arquitetos estavam criando paredes de pedra seca. Essas famosas estruturas foram projetadas no oeste da Índia séculos atrás, mantinham os edifícios frescos no clima quente, forneciam acesso à água subterrânea durante todo o ano e, ao mesmo tempo, criavam espaço para cerimoniais e eventos sociais. Todos estes exemplos têm algo em comum – todos eles foram criados com ênfase nas vantagens naturais, no uso de materiais disponíveis localmente e com a resposta climática em mente.

Um novo grande capítulo na história da arquitetura sustentável começou no final dos anos 80. Tudo começou com um arquiteto, Bob Berkebile, que tinha uma postura proativa e preocupações com o futuro do nosso planeta. Bob tentou convencer o AIA (American Institute of Architects) a repensar a abordagem da arquitetura para salvar o planeta. Tendo contado com o apoio de outros arquitetos preocupados de todos os Estados Unidos, uma nova Comissão do Meio Ambiente (COTE) foi criada. Juntamente com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, o COTE realizou pesquisas ambientais contínuas e produziu novas diretrizes para o projeto arquitetônico nos trazendo onde estamos agora em termos de arquitetura sustentável.

Por que isso importa?

Tudo isso é incrivelmente importante porque estamos consumindo os recursos naturais e poluindo o planeta mais do que nunca. O número de pessoas que vivem na Terra está no auge, e o planeta simplesmente não tem a capacidade de regenerar recursos tão rápido.

Outro ponto a ser considerado é a poluição causada pela construção civil. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, nos Estados Unidos, informou em 2020 que as emissões do setor de construção atingiram um recorde – com o setor “representando 38% do total de emissões globais de CO2 relacionadas à energia”. De acordo com suas estimativas, as emissões do setor de construção precisarão cair pelo menos 6% ao ano para atingir zero emissões líquidas até 2050.

Além disso, os materiais utilizados na construção civil têm um impacto muito negativo ao meio ambiente. Estudos mostram que a produção de concreto utiliza quase 10% do uso industrial de água do mundo e é um dos principais fatores que contribuem para as emissões extremas de CO2 do setor de construção. Além disso, o concreto agrava a ocorrência de “efeitos de ondas de calor” nas cidades, contribuindo para o aumento da temperatura global. A substituição de materiais de alto impacto, como o concreto, por alternativas sustentáveis não apenas reduziria ou removeria totalmente esses efeitos, mas também apresentaria muitos outros benefícios.

Os benefícios da arquitetura sustentável

A arquitetura sustentável tem inúmeros benéficos. Auxilia na redução da poluição e produção de um ambiente sustentável, saudável e durável.

O maior benefício da arquitetura sustentável é a redução das emissões de carbono. De acordo com o C40 Knowledge, otimizar o uso de energia em edifícios pode fornecer entre 20% e 55% do potencial de redução de emissões das cidades. Ademais, a substituição de produtos convencionais por alternativas sustentáveis reduz a emissões de carbono desde a fabricação dos materiais até a operação da edificação.

Além disso, a construção sustentável pode ajudar a diminuir o uso de recursos naturais e combustíveis fosseis. Também pode ajudar a aumentar a eficiência da água, dos materiais, bem como aumentar a duração e melhorar a manutenção das estruturas. Inclusive pode ajudar a melhorar a qualidade do ar dentro e fora das edificações.

As pessoas que vivem dentro em edificações verdes também podem ter muitos benefícios econômicos e financeiros, incluindo economia nas contas de eletricidade e água. Também podem esperar um alto valor de propriedade se planejarem vender, pois imóveis sustentáveis tem grande valorização no mercado.

O que torna a arquitetura sustentável?

Para que uma arquitetura seja considerada sustentável, ela deve ter todas ou algumas dessas características:

  • Compromisso com a minimização dos impactos humanos ao meio ambiente;
  • Projetar antes de construir;
  • Reutilização adaptativa de edifícios antigos;
  • Uso eficiente do espaço;
  • Minimizar o consumo de energia adotando sistemas de iluminação e ventilação natural, refrigeração, aquecimento, painéis solares e outras fontes de energia renovável;
  • Utilizar sistemas de conservação de água, por exemplo, sistemas que reciclam água cinza ou coletam água da chuva;
  • Garantir a integração perfeita de novos edifícios na paisagem geral;
  • Não usar materiais tóxicos ou sintéticos;
  • Incluir materiais de rápida renovação, como por exemplo bambu e fungos;
  • Utilizar madeira e pedra para construção obtida de fontes legais e locais;
  • Sistema de reciclagem e gestão eficiente de lixo ou resíduos de construção;
  • Projetar sistemas fotovoltaicos e geotérmicos para geração de energia;
  • Utilizar tecnologias de recuperação de calor;
  • Integrar a natureza a edificação, por meio de telhados verdes e paredes vivas, por exemplo;
  • Utilizar janelas amplas e orientação adequada para aproveitar o vento e a luz natural;
  • Utilizar itens reciclados como pisos de pneus e telhas de vidro reciclado;
  • Utilizar tintas, vernizes e impermeabilizantes não tóxicas ou orgânicos;
  • Adotar espaços modulares e adaptáveis que possam ser reutilizados facilmente.
Cidades sustentáveis

Relacionado à ideia de arquitetura sustentável está o conceito de cidades sustentáveis, que são construídas para humanos em vez de carros. Uma ideia que está se tornando cada vez mais popular na paisagem arquitetônica.

Em 2021, o conceito de “cidade de 15 minutos” do professor Carlos Moreno ganhou o Prêmio Obel por realização arquitetônica. A “cidade de 15 minutos” é um modelo de planejamento urbano que busca garantir que todos os cidadãos de uma cidade possam acessar suas necessidades diárias a uma distância de 15 minutos, reduzindo a necessidade de carros. “Como parte do pensamento de design urbano sustentável, o conceito ajuda a reduzir o uso do carro e as emissões de carbono, reduz o tempo de deslocamento e gera mais espaços públicos”, mostra o ArchDaily.

O impulso para as cidades sustentáveis não só oferece benefícios ambientais, mas também muitos benefícios para as pessoas. Dados do Strong Towns mostram que as fatalidades de carro mataram muito mais do que todas as nossas guerras juntas. Além disso o Strong Towns também provou que uma viagem de 23 minutos de carro tem o mesmo efeito na felicidade que uma redução de 19% na renda.

Simplificando, as cidades não devem ser projetadas para veículos. Fazer isso tira sua beleza, aumenta a poluição e impacta negativamente a saúde das pessoas.

Superando desafios na aplicação de arquitetura sustentável

Como vimos, a arquitetura sustentável beneficia a todos – indivíduos, empresas, comunidades, economia e meio ambiente. É verdade que cada vez mais países se esforcem para a sustentabilidade, mas os avanços alcançados ainda não são capazes de acompanhar a demanda incessante por recursos.

Há também desafios que podem dificultar o avanço da arquitetura sustentável e um dos maiores obstáculos é o custo monetário. Embora uma construção sustentável possa economizar mais dinheiro a longo prazo, ainda existe a crença comum de que materiais e métodos sustentáveis são muito mais caros do que os recursos tradicionais.

Isso nem sempre é necessariamente verdade, e é por isso que conhecer os produtos e profissionais especializados em sustentabilidade no início do processo de design é um passo importante. Trabalhar com materiais adequados e uma equipe de projeto que entende as complexidades, demandas e desafios da construção de um edifício sustentável tornará mais acessível a construção dessas edificações.

Compartilhe:

Receba nossas notícias

Inscreva-se em nossa Newsletter